voltar para Home a partir de R$ 10,00

Orquestra Sinfônica da Univ. de Caxias do Sul

Dom 18 MAR
18:00
Horário
Teatro Feevale
Novo Hamburgo/RS
Local

Pela primeira vez no Teatro Feevale Concerto da Orquestra Sinfônica da Universidade de Caxias do Sul com participação da Orquestra Sinfônica da Universidade do Norte de Iowa (EUA), sob a regência da maestrina Rebecca Burkhardt (EUA)

Programa do Concerto

 

John Williams: Star Wars Suite

• Star Wars (Main Theme)

• Princess Leia's Theme

• The Imperial March (Darth Vader's Theme)

• Yoda's Theme

• The Throne Room & End Title
 

- Intervalo -
 

John Corigliano: Chacona para Violino e Orquestra do filme “The Red Violin” (O Violino Vermelho)

Solista: Ross Winter – Violino (UNI)

Leonard Bernstein: Symphonic Dances do musical “West Side Story” (Amor, Sublime Amor)

• Prologue (Allegro Moderato)

• "Somewhere" (Adagio)

• Scherzo (Vivace e Leggiero)

• Mambo (Meno Presto)

• Cha-Cha (Andantino Con Grazia)

• Meeting Scene (Meno Mosso)

• "Cool", Fugue (Allegretto)

• Rumble (Molto Allegro)

• Finale (Adagio)

Maestrina: Rebecca Burkhardt – (UNI)

John Williams: Suíte do filme Star Wars (Guerra nas Estrelas)


Sobre os compositores:

John Towner Williams nasceu em Long Island em 1932 e é considerado um dos mais famosos compositores de trilhas sonoras dos Estados Unidos.

Grande amigo de Steven Spielberg, fez inúmeras parcerias em filmes como Tubarão, E.T. o Extraterrestre, Jurassic Park e A Lista de Schindler. Além de Spielberg, fez uma longa parceria com o cineasta George Lucas, sendo o autor das famosas trilhas de Star Wars (Guerra nas Estrelas) e Indiana Jones. Compôs outras incríveis trilhas como as da série Harry Potter e do primeiro filme do Superman estrelado por Christopher Reeve.

Considerado como um dos maiores compositores da história do cinema, John Williams tem um estilo grandioso em suas composições, as quais lhe proporcionaram grande fama tanto a nível de premiações como o Oscar quanto em popularidade. Segundo o Internet Movie Database, ele recebeu mais de 112 prêmios e 220 indicações ao longo de sua carreira.

Star Wars foi originalmente lançado em 1977 pela 20th Century Fox, e se tornou um fenômeno da cultura pop mundial. Seguiram-se duas sequências e, vinte e dois anos após o lançamento inicial de Star Wars, o criador George Lucas começou o lançamento de mais uma trilogia. Uma das franquias de filmes mais bem-sucedidas já criadas, a série também é creditada como o início de um avivamento de grandes pontuações sinfônicas ao estilo da Hollywood antiga.

Chegou como um choque – um choque emocionante e delicioso – para muitos jovens cineastas ouvir a partitura sinfonicamente concebida para a orquestra completa que John Williams criou para o épico do espaço, aproveitando os ricos sons românticos do final do século 19, na técnica de leitmotiv de Wagner, criando e retrabalhando temas específicos para personagens e eventos, ao mesmo tempo em que homenageia seus heróis no campo, Bernard Herrmann e Erich Korngold. A fanfarra de abertura de Star Wars é um ato particular de homenagem a Korngold, ecoando em suas notas de abertura o tema da partitura de Korngold para King's Row.

Pesquisa: Rebecca Burkhardt – Maestrina convidada
 

John Corigliano: Chacona para Violino e Orquestra do “Violino Vermelho”

O Violino Vermelho: Chacona para Violino e Orquestra baseia-se na música que o compositor John Corigliano compôs para o filme do mesmo nome. O filme abrange três séculos na vida de um violino magnífico, mas assombrado, em suas viagens pelo espaço e pelo tempo. Uma história assim, tão episódica, precisava ser unida por uma única ideia musical. Para esse efeito foi usado o recurso barroco de uma chacona: um padrão repetido de acordes sobre os quais a música é construída.

Contra os acordes de chacona, Corigliano justapôs o tema de Anna, uma melodia lírica e intensa que representa a esposa condenada do construtor de violinos. A partir desses elementos, fez-se uma série de estudos virtuosos para o violino solo, que segue o instrumento de país em país, século a século.

O compositor compôs esses elementos antes da filmagem de fato, porque os atores precisavam imitar o desempenho real da música. Então, quando o filme propriamente dito foi gravado, Corigliano fez do tema de Anna, da chacona e dos estudos, este concerto. Enquanto ele orquestrava o filme apenas para o solista e a orquestra de cordas (para enfatizar a conexão com o filme), compôs este concerto de dezessete minutos para violino e orquestra completa.

Logo que a Chacona para Violino e Orquestra começa, linhas de cordas ascendentes diáfanas revelam os acordes de chacona, expressos em ritmos pontilhados, em sopros suaves e metais. Então o violino solo e a orquestra se pronunciam e ampliam o tema de Anna. Estudos virtuosos aceleram o ritmo, levam a um clímax apressado. Estes produzem uma melodia de altura estratosférica, de lentidão grave, que lembra, contra sons que mudam lentamente, o tema romântico de Anna.

As cordas aumentam de volume, fortalecem-se com sopros e metais: então o solista recupera, desta vez em acentos determinados, a diáfana linha de cordas que abriu a obra. A orquestra interrompe para lançar a cadência do solista, por passagens impetuosas e melodiosas. Então a chacona, em que as cordas se tornaram frágeis por violentos ataques com a madeira do arco, culmina gradualmente em uma grande reexposição da abertura e uma coda como se fosse um grande redemoinho.

Texto: John Corigliano - Compositor
 

Leonard Bernstein: Danças Sinfônicas de West Side Story

Nascido há 100 anos, Leonard Bernstein foi sem dúvida um dos mais geniais músicos da história americana, como maestro, compositor e pianista. Foi o primeiro artista musical do século XX nascido nos Estados Unidos a receber reconhecimento mundial, tanto à frente da Filarmônica de Nova York, da Filarmônica de Viena e de outras grandes orquestras, como de importantes projetos educativos como Young People's Concerts, que era apresentado na televisão entre os anos de 1954 e 1989, bem como de suas marcantes composições, como West Side Story, Candide, e On the Town.

Leonard Bernstein compôs o musical West Side Story em 1957 e, quando apresentou-o pela primeira vez na Broadway, mudou para sempre o teatro americano, como ele próprio já tinha previsto. A ideia inicial veio de Jerome Robbins, cuja coreografia inteligente e chamativa contribuiu de forma tão decisiva para o produto final. O próprio registro de Bernstein sugere que ele percebeu as implicações mais amplas do show, bem como seus enormes desafios.

Assim que Robbins o contatou em 6 de janeiro de 1949, ele escreveu: Jerry R. ligou hoje com uma nobre ideia: “Uma versão moderna de Romeu e Julieta ... Mas é muito menos importante do que a maior ideia de fazer um musical que conta uma história trágica em termos de comédia musical, usando apenas técnicas de comédia musical, nunca caindo na armadilha ‘operística’. Pode ter sucesso? Ainda não o teve no nosso país. Estou animado. Se funcionar, é o primeiro.”

West Side Story esteve em cartaz por quase dois anos (contando 722 shows), fez turnês em nível nacional por mais um ano e voltou para Nova York para mais 253 apresentações. A música de Bernstein tornou-se extremamente popular em todo o país quase que de uma vez e, nos próximos anos, sua editora ficou ocupada imprimindo edições de músicas, seleções e destaques da partitura. Em 1961, pouco depois de ter completado a pontuação para a versão cinematográfica do musical, Sid Ramin e Irwin Kostal prepararam uma série de danças sinfônicas de West Side Story sob a supervisão do compositor. As seções principais são um prólogo, representando a rivalidade entre os Jets e os Tubarões; "Em algum lugar", em que as gangues se unem em amizade; um scherzo retratando um mundo visionário de espaço aberto, ar fresco e sol; um mambo combativo; um tratamento cha-cha de "Maria"; o primeiro encontro dos amantes; uma fuga em "Cool"; o estrondo climático da gangue; e o final trágico, baseado em "I Have a Love". Como o musical, a suíte termina com um acorde assombroso/perturbador e não resolvido.

Pesquisa: Rebecca Burkhardt – Maestrina convidada

 

Duração:

Classificação Etária: Livre. Menores de 14 anos, somente poderão entrar acompanhados dos pais ou responsáveis. Crianças até 24 meses de idade que ficarem no colo dos pais, não pagam.

Regras para venda de meia entrada:

Política de venda de ingressos com desconto: as compras poderão ser realizadas nos pontos de venda físicos, mediante apresentação de documentos que comprovem a condição de beneficiário;

Para compras na internet e/ou call center, a comprovação obrigatória se dará na retirada do respectivo ingresso na bilheteria do Teatro;

Será obrigatório a apresentação do documento que comprove o direito ao benefício, na compra do ingresso e na entrada do Teatro. Caso o benefício não seja comprovado, o portador deverá complementar o valor do ingresso adquirido para o valor do ingresso integral, caso contrário, o acesso ao Teatro não poderá ser autorizado.

Meia entrada/Descontos:

 

50% de desconto para IDOSOS (com idade igual ou superior a 60 anos): Conforme a Lei Federal nº 10.741/03 e o Decreto nº 8.537/15 , mediante apresentação de documento de identidade oficial com foto.

50% de desconto para ESTUDANTES: Os estudantes terão direito ao benefício da meia-entrada mediante a apresentação da CIE no momento da aquisição do ingresso e na portaria ou na entrada do local de realização do evento. Podendo ser emitida por entidades estaduais e municipais, Diretórios Centrais dos Estudantes, Centros e Diretórios Acadêmicos, mesmo que estas entidades não estejam filiadas a ANPG, UNE e Ubes.

50% de desconto para JOVENS COM ATÉ 15 ANOS: Conforme a Lei Estadual nº 14.612/14, mediante apresentação de documento de identidade oficial com foto.

50% de desconto para PESSOAS COM DEFICIÊNCIA e acompanhante quando necessário: Conforme a Lei Geral da Meia-Entrada (Decreto nº 8.537/15, que regulamenta a Lei 12.933/13), mediante apresentação do cartão de Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social da Pessoa com Deficiência ou de documento emitido pelo Instituto Nacional do Seguro Social - INSS que ateste a aposentadoria de acordo com os critérios estabelecidos na Lei Complementar nº 142, de 8 de maio de 2013. No momento de apresentação, esses documentos deverão estar acompanhados de documento de identidade oficial com foto.

50% de desconto para DOADORES REGULARES DE SANGUE*: Conforme a Lei Estadual nº 13.891/12, mediante apresentação de documento oficial válido, expedido pelos hemocentros e bancos de sangue.

*São considerados doadores regulares a mulher que se submete à coleta pelo menos duas vezes ao ano, e o homem que se submete à coleta três vezes ao ano.

O benefício de meia-entrada é assegurado para 40% do total de ingressos disponíveis para cada evento, conforme o Decreto nº 8.537/15.

Outros descontos: 

 

 

Ponto de venda sem taxa de conveniência: Bilheterias

BILHETERIA DO TEATRO FEEVALE

 

Local: ERS-239, 2.755, Novo Hamburgo, RS.
Telefone: (51) 3271-1200.

 

Bourbon Shopping Novo Hamburgo - Quiosque Teatro Feevale

Local: Avenida das Nações Unidas, 2001 / Piso 2 - Novo Hamburgo, RS.

*Pagamento apenas com cartão.

 

Funcionamento Bilheteria no Teatro Feevale 
(ERS 239, 2755)


Fevereiro

 

Segunda a sexta-feira das 9h às 12h e das 13h às 17h

Não abriremos aos sábados

Recesso de Carnaval nos dias 12 e 13 de fevereiro.

 

Bilheteria Bourbon Shopping Novo Hamburgo 
Quiosque Teatro Feevale

 

Fechada de 01 a 13 de fevereiro.

Reabriremos na quarta-feira de cinzas, dia 14 de fevereiro.

Horário: 13h às 20h

 

Número do alvará de funcionamento: N°100554 Validade: Indeterminada.

Certificado de conformidade de PPCI: N° 5266/1, em processo de renovação.

Lotação máxima: 1.842 Pessoas

 

 

Ingressos E-Ticket em arquivo .PDF entregues automaticamente ao e-mail do titular do pedido em até 30 min após o recebimento da confirmação de compra. Apresente no acesso do evento.
Caso não tenha recebido o email, verifique também sua caixa anti-spam. 

Redes Sociais

Pague com

Nosso APP